HERPES ZOSTER

Herpes Zoster (popularmente conhecido como “cobreiro”) é causado pelo vírus varicela zoster, o mesmo que causa a varicela (catapora). O indivíduo que teve catapora permanece com o vírus latente nos gânglios dos seus nervos. Em determinadas situações, pode ocorrer reativação deste vírus, levando ao quadro do herpes zoster, que geralmente se inicia com dor ou sensação parestésica (formigamento, pontada, “pele sensível” ou queimação) na pele seguindo o trajeto do nervo afetado (inflamado). Na evolução surgem lesões avermelhadas e elevadas na pele, que evoluem para bolhas. Em alguns dias essas lesões evoluem para crostas e podem deixar manchas e cicatrizes residuais.

As manifestações limitam-se a um lado do corpo, por onde passa o nervo acometido. A dor pode ser muito intensa em alguns pacientes, necessitando de analgésicos potentes. Em alguns casos (principalmente em indivíduos idosos) essa dor pode permanecer por meses após a resolução do quadro cutâneo, caracterizando a neuralgia pós-herpética. Os nervos mais atingidos são os intercostais (entre as costelas), provocando manifestações no tronco. Quando acomete nervos cranianos podem ocorrer sintomas referentes a eles, como lesões nos olhos e ouvido.

Diante do diagnóstico de herpes zoster, é necessário realizar investigação clínica do paciente, pois o quadro pode ser indicativo de comprometimento imunológico, que por sua vez pode ser decorrente de uma doença ou mesmo por stress. O tratamento deve ser iniciado o quanto antes, para abreviar o quadro clínico e prevenir complicações, como a neuralgia pós-herpética.

×

Powered by WhatsApp Chat

×